sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Rabu Gonzales : Quem são os caras? (NOVO SINGLE)





Registrando o lançamento do retorno do meu brother Rabu Gonzalez ao mundo do rap nesse belo single featuring o mestre ( esse é mestre mesmo ) BNEGÃO.



welcome back Rabú !!!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

ZOEIRA DIA 07 DE NOVEMBRO - TEASER BY RABÚ GONZALEZ





Meu mano Rabú está de volta com um novo single, e vai celebrar esse comeback na nossa Zoeira de sábado.



Checa esse teaser com presenças mega ilustres !




quinta-feira, 29 de outubro de 2015

De Leve Ao Vivo no MAR de Música | BUEIROSHOW





TOP !  mano de levis debulhando no mic.

Lendas do Rap | Aori





sugado do www.anagamusic.tumblr.com:
Entrevista bem legal produzida pelo meu broder DJ ROGER FLEX bem entre a finalização do EP e o seu lançamento. AInda inédita, vale a pena olhar agora e ver onde estamos no momento. Entrevista assim é legal, perguntas intelegentes e tempo pra se expressar. 
Hoje numa evolução física espiritual motivada pela recepção do trabalho!

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Making Of: Marcão Baixada - Geração 90 | Estúdio Garimpo





Em primeira mão um making of das gravações do EP de estreia de Mr. Baixada.



divirtam-se



#G90 is coming.

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

BENI - "NEGROS" LP, 2015



Finalmente ouvindo o album do irmão Beni, o LP conceitual "Negros", e valeu a pena esperar. Que trabalho incrível ! Beni, escreveu, produziu, escreveu,gravou e mixou o disco além de fazer a direção de arte e videos. Orgulhoso do trabalho desse brother, que com certeza vai ressoar pelo mundo.

agora vamos escutar!!!!

terça-feira, 4 de agosto de 2015

domingo, 2 de agosto de 2015

MARCÃO BAIXADA É #JOVEMNEGROVIVO



[Verso 1] A luta é de todos pretos, da África e do mundo inteiro É pra zelar pela vida e não só pelo dinheiro Sangue no beco é o motivo pelo qual eu brigo Tenta enxergar o verdadeiro inimigo; Contrariando a estatística; minha vingança é lírica A face da morte é sínica... Calaram a voz de quem sofre com revólver Vitória pra nós é passar dos 29 Tô vivo!? Mais um dia e mais um ganho Blood on the leaves: Eu sou fruto de um mundo estranho Que quanto mais eu falo, eu apanho. Deixar de ser suspeito é meu sonho Lutar pra ser feliz; te proponho! E essa luta eu não posso adiar, arrastaram a Cláudia O Amarildo? Eu nem sei onde tá Ratatá... tatá e Boom! Final do Filme Bem vindo à vida, já foi-se o tempo de Super Cine Me sufoca! 'Não consigo respirar'... Falo o que importa! Cansei de esperar! Meu povo não perecerá, mesmo que façam o mal Falam de Jordan, eu preferi falar de Michael Brown Corte! Nem todos são manos, calculam-se os danos 515 anos Sorte! Na cara, um cano. Morreu mais um mano Não era parte do plano Mais um que foi pro índice. É ruim dizer: Que mundo insano!? Que ato desumano!? Se for, me avisa; que o saldo tá negativo E eu vou lutar pra ver o jovem negro vivo [Verso 2] Segue a meta, verme sai da reta Meu bonde chegou pra estragar sua festa Jogo nas 11, minha equipe tá completa Me manter vivo é tudo que me resta Eu tô na luta e ninguém me tira do ringue Te nocauteio porque eu tenho swing Acha que é pouco? Hora do troco, então se vingue Eu tenho um sonho, jovem Martin Luther King A bala voa enquanto o mundo gira Aparthaid não acabou, 'cê acha que é mentira? Mais uma mãe chorou e vai aumentando a ira Tenta adivinhar a cor de quem tá na mira... 'Não consigo respirar' -jogaram spray de pimenta- Abordagem de forma violenta Se taca molotov o seu domingo esquenta Sou filho da geração 90 Candelária, Vigário Geral, Carandiru Duque de Caxias, Queimados, Nova Iguaçu Pergunta se sobrou alguém parado na esquina Pergunta pra quem sobreviveu a essa chacina Vinícius Romão... preso por engano Podia ter sido qualquer mano Represento o estilo africano Quer dizer que eu não posso andar nos pano? Moleque chavoso, meia na canela Nós tem classe, tipo a Velha Guarda da Portela. Só quero progresso pra favela Vai rachar a cara quando ver os preto de Margiela Rumores de que eu sou suspeito Por ser preto? Merda de preconceito Por ser preto. Eu exijo mais respeito Quer ser preto? Só pra quem tem peito

quinta-feira, 30 de julho de 2015

RABU GONZALEZ WALKING SHOW APRESENTANDO EMICIDA





Ele está de volta !! botando o Emicida pra pegar onibus de chinelo !!



uma produção NEGO.TV


MC Ralph & DJ Sleep - INTERGALÁTICO (O RETORNO)





INTERGALÁTICO (O RETORNO)

(Alô! Alô! Retomando contato... Nave interestelar "V-A-L-E-D-O-P-A-R-A-I-B-A" em missão de paz pela Babilônia... Ralph... Sleep.. é o retorno!)

Intergalático, tipo telepático,
atípico... ô! é o retorno!
tudo que acredito, ô, admito
vem do infinito, tô,
na terra habito,
tô com humor do velho
é sério, saúdo: Atotô!
eu vi Saturno, no céu noturno eu vi Netuno
vou dos anéis até o tridente, só pra quem entende
é o sub grave no subconsciente
é a chave além da mente
viajo a Via-Láctea interdimensionalmente
meu coração é minha estrela e o universo tá na gente
Santa Estrela do Oriente!
Ô Lua! Olorum!
Da linha da Rainha, da linha do Tucum
só existe um General, o General número Um!
é o General número Um!!
sem zum zum zum nem falácia
aqui é igual a Tássia:
é clack bum!
boom bap tradicional
meu Rap é igual Batalha do Real
igual Central Acústica, igual Rua do Flow
Noite do disquinho, Uai Rap Soul
tudo bem, nem tudo bom
correndo discos na ortofon
a magia é aborígena
Bambaataa trouxe a cultura alienígena
Universal Zulu! sumemo tru...
e quem tirou: shiiiuuu
Ouço Inumanos, Black Alien
fã de Funkadelic, Alton Ellis, Miles Davis
"I see the reasons in the sky"
nossas crianças são cristais
índios índigos, abalos sísmicos
na Nova Era tem que ser filho legítimo
tá tudo nítido dentro do íntimo
tem que ser digno e pegar a Excalibur!
É o Rei, é o Mago, é o Servo...
me conheço se me observo.
Minha verdade não é melhor que a sua
a lenha vira lua, o Rap tá na rua
Análogo metafórico, eu trago um flow meteórico,
o caos nunca foi teórico, angélico ou diabólico?
Escolhe com qual cê cola, comungo com os ato heróico
do Cristo Cósmico, Xamânico, Católico
Cacto enteógeno, o pacto é amor ao próximo
pro futuro próspero, curo o psicológico
um novo mundo utópico pra por em prática
atento com as velha tática, que o mal é matemático
o bem é Síntese
quase no Apocalipse
Jah Jah me disse:
- Limpe-se!
Intergalático.
Intergalático.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

segunda-feira, 6 de julho de 2015

AMANHÃ : "TAMBOR" NOVO SINGLE DO MARCÃO BAIXADA


Galera, para quem não sabe os Inumanos junto com o Embolacha e a Brutal Crew estão assinando a produção do novo EP do Marcão Baixada. O Marcão é um talento muito promissor na cena cultural carioca e já faz a diferença aqui no Rio, vindo diretamente da Baixada.

Estamos envolvidos numa campanha de crowdfunding, onde vocês todos podem se tornar parceiros nessa empreitada.


e amanhã estamos lançando o primeiro single do EP Geraçao 90 , o hit "TAMBOR".

nós vemos amanhã as 20 hrs.

Compartilhem !!!!!!

obrigado

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Marcão Baixada | Geração 90, Lançamento do EP -- COLABORE


Geração 90 no ar na Embolacha!
Com muito orgulho anuncio a nossa parceria com Marcão Baixada e a lendária Brutal Crew
Estamos todos juntos unidos na produção do EP "Geração 90":
http://www.embolacha.com.br/…/424-marcao-baixada-geracao-90…
O projeto está sendo produzido por Dj Babao a.k.a. Jose Ribeiro dos Inumanos e Pauleira Myself + a produção executiva de Aori Sauthon.
Contamos com vocês para colaborar e compartilhar fazendo acontecer esse manifesto da música urbana carioca.
O Marcão, Marcus da Silva é um jovem talento do hip hop que nos últimos anos tem levantado a bandeira da nossa cultura e levado a palavra a todos os cantos do Rio e até além - para quem não sabe junto de Dudu Morro Agudo e Léo Da Treze do Comboio e Movimento Enraizados , são os atuais campeões mundiais de hip hop em evento que ocorreu em Miami há pouco mais de um mês!!
Assista o vídeo abaixo e nos acompanhe em mais essa campanha! serão 45 dias insquecíveis. Mais do que a linha de chegada, cada passo nessa jornada vai valer a pena!
obrigado,
Brutal Crew
L.A.P.A
Embolacha
(geral junto! só sinistro)

Colaborem :


Assista ao video da campanha>>>>



Kamau - Licença Poética (Experimentos Pessoais) [2015] + DOWNLOAD

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Aori - "ANAGA" ao vivo contra a redução da maioridade penal





Com DJ Neps ao meu lado e ENIOMANOS nos registros, eu disparei a faixa título do meu EP na rua do ouvidor domingo passado.



Powered by Digital Dubs

segunda-feira, 1 de junho de 2015

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Jay-Z B-Sides Concert FULL (HD)





como diz a mlkada... #AULAS.



Set list:
“Dynasty Intro”
“Young Gifted & Black Freestyle”
“Pump It Up Freestyle”
“Streets Is Watching”
“Friend Or Foe”
“Where I’m From”
“Say Hello” (Hook)
“Tidal Freestyle”
“Politics As Usual”
“Guess Who’s Back”
“Show You How”
“Jigga My N*gga”
“Hovi Baby”
“22 Twos” (“If you a thot, gotta call you a thot.”)
“U Don’t Know”
“A Million And One Questions”
“Rhyme No More” over Pusha’s “Numbers By The Boards”
“So Ghetto”
“D’Evils”
“Marcyville” over Snoop’s “Murder Was The Case”
“This Can’t Be Live”
“Party Life” (Interlude)
“Success”
“Ignorant Sh*t”
“Grammy Family Freestyle” (“I had a bet that I was gonna be the only one that knew that.”)
“Takeover”
“You, Me, Him, & Her” (w/ Memphis Bleek and Beanie Sigel)
“What We Do” (Freeway’s verse only)
“Clique”
“We Made It Freestyle” (w/ Jay Electronica)
Jay Electronica’s “Exhibit C”
“Go Crazy” (w/ Jeezy)
Jeezy’s “Who Dat”
“Can I Live”
“In My Lifetime (Remix)”
“Feelin’ It”
“Imaginary Player”
“Dead Presidents Pt. I”
“It’s Like That”
“Never Change”
“Momma Loved Me” Accapella
B.B. King’s “The Thrill Is Gone”
“Allure”
Jimi Hendrix’s “National Anthem”
“P.S.A.”
“Show Me What You Got” (Outro)

Jay-Z B-Sides Concert FULL (HD)





como diz a mlkada... #AULAS.



Set list:
“Dynasty Intro”
“Young Gifted & Black Freestyle”
“Pump It Up Freestyle”
“Streets Is Watching”
“Friend Or Foe”
“Where I’m From”
“Say Hello” (Hook)
“Tidal Freestyle”
“Politics As Usual”
“Guess Who’s Back”
“Show You How”
“Jigga My N*gga”
“Hovi Baby”
“22 Twos” (“If you a thot, gotta call you a thot.”)
“U Don’t Know”
“A Million And One Questions”
“Rhyme No More” over Pusha’s “Numbers By The Boards”
“So Ghetto”
“D’Evils”
“Marcyville” over Snoop’s “Murder Was The Case”
“This Can’t Be Live”
“Party Life” (Interlude)
“Success”
“Ignorant Sh*t”
“Grammy Family Freestyle” (“I had a bet that I was gonna be the only one that knew that.”)
“Takeover”
“You, Me, Him, & Her” (w/ Memphis Bleek and Beanie Sigel)
“What We Do” (Freeway’s verse only)
“Clique”
“We Made It Freestyle” (w/ Jay Electronica)
Jay Electronica’s “Exhibit C”
“Go Crazy” (w/ Jeezy)
Jeezy’s “Who Dat”
“Can I Live”
“In My Lifetime (Remix)”
“Feelin’ It”
“Imaginary Player”
“Dead Presidents Pt. I”
“It’s Like That”
“Never Change”
“Momma Loved Me” Accapella
B.B. King’s “The Thrill Is Gone”
“Allure”
Jimi Hendrix’s “National Anthem”
“P.S.A.”
“Show Me What You Got” (Outro)

THBR TV Season 2 (Los Angeles) - Episódio 1 "O Boom da Fairfax"





My man Lucas Penido investiga a Fairfax Ave, onde os estilos que você curte são criados.






Marcão Baixada - Bang Bang (Bento Remix)





MRC BXD injetando nanicolina na veia nesse video.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Beni - Prometeu - Prod.Beni





Beni está de volta !!! um dos artistas mais completos do #rapbr em seu primeiro single do album "NEGROS".



Mitologia Grega na parada... fino.

sábado, 25 de abril de 2015

#DosArcosPraCá


♦ NOSTALGIA BLACK na Lapa Tradicional.

Quem não conheceu ou curtiu , com certeza ouviu falar dos Bailes Rap que aconteciam na lendária e respeitada Rua Joaquim Silva - na Lapa. Não é mesmo ?

“NO PRINCÍPIO ERA TREVAS” 

Ainda na época , o Rap não acontecia nas boates e casas de show como nos dias atuais. O Hip-Hop Lapa na Joaquim Silva ( diga-se de passagem ) era um dos mais disputados palcos do Rio, ( Diga um Mc / Dj que não tenha passado por aqui ... ) sendo uma importante plataforma urbana para o movimento.

“A SAUDADE BATEU “ 

... e os anfitriões #DosArcosPraCá - Leo Barata ( Rapper / Capoeirista ) & Gabu , resgatam a essência musical da Lapa Tradicional e agregam força às transformações atuais que a cena Urbana está passando.

Sendo assim, velha , média ou nova escola ( como queiram chamar ) se encontram para ensinar , aprender e principalmente contemplar , reconhecer e é claro , brindar os novos tempos de uma tradição.

" SALVE O VINIL "

É claro que a CULTURA FUNDAMENTO dos Reais DJ´s tem que estar presente . E para os aficcionados , viciados em VINIL , abriremos a nossa " Boquinha de Bolacha Preta "

- De Frente:

➥ Tropical Wax - ( www.facebook.com/tropicalwax )
➥ Flavio César - ( Alive / Faz na Praça )

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

.>> Lapalê

O resgate acontece juntamente com o Festival Literário Lapalê que além de manifestações artísticas, promoverá debates sobre diversos aspectos do Bairro das 4 letras: LAPA.

➥ www.lapalefestival.com.br/

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

♦ RESGATANDO SENTIMENTOS:

➥ DJ - Zezinho
➥ Dj - Kong
➥ DJ - Goranmo ( Baile do Ademar )
➥ Dj’s - Baré & Mouchoque ( Ritmo de Favela )
➥ Dj Marcelinho MG
➥ DJ Flávio Cesar ( Soul , Funk 80" )
➥ Dj kymbo Rj

➥ McFunkero
➥ MC Aori
➥ Dom Negrone
➥ Leo Barata
➥ JOTA
➥ Imperadores da Dança ( Passinho )


e vc ?

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

♦ " WEB PARÇAS "

➥ Tattoo Week Rap
➥ Ritmo de Favela

➥ Sou Carioca "mermo"
➥ RODA CULTURAL DE VILA ISABEL #165 [C.C.R.P]]]]]]
➥ FÚRIA HIP HOP

domingo, 12 de abril de 2015

Incredible Cypher of Hip Hop Legends at R.A. the Rugged Man show





R. A. O Rugged Man Reúne Chris Rivers, Mikey D, Grandmaster Caz , o Mighty Mike C, Dinco D , El Da Sensei, e Ruste Juxx .

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Anaga - O Processo

Anaga - O Processo from OS3 estúdio on Vimeo.

O Terceiro vídeo da série que contém quatro episódios sobre o novo EP Anaga com a produção visual da OS3 Estúdio. Confira o incrível trabalho do artista na íntegra.
Equipe Técnica:
Direção Geral: Adilio Junior
Fotografia: Thiago Saramago
Assistente: Waldyr Junior
Entrevista: Junior Cruz
Artista: Aori
Gravadora: Brutal Crew
Audiovisual: OS3 Estúdio
Cameras:
Canon 6D
Canon 5D Mark III
Lentes:
Canon 70-200mm 2.8 L ISII USM
Canon 28-135mm 3.5
Canon 40mm 2.8

quinta-feira, 19 de março de 2015

quarta-feira, 18 de março de 2015

Inumanos - Brutal Crew (VIDEO REMASTERIZADO)





UM DOS MELHORES CLIPES DE RAP BRASILEIROS DE TODOS OS TEMPOS.



DE TODOS OS TEMPOS!



DIRETO DAS CATACUMBAS DO APAVORAMENTO SOUNDSYSTEM



#APAVORAMENTO15ANOS

Quinto Andar - Rimo na Direita / Som pra Pista (HQ)





Direto dos arquivos secretos do Apavoramento SoundSystem ... a Lenda voltou!



#apavoramento15anos

segunda-feira, 9 de março de 2015

Anaga - Motivação (VIDEO)





Belíssimo video dirigido por Adilio Jr, onde numa entrevista para Junior Cruz, eu falo sobre a motivação do ANAGA.



check it out.

terça-feira, 3 de março de 2015

ANAGA @ BOCADA FORTE - ENTREVISTA


AORI: “A IDEIA ERA FAZER HEADPHONE MUSIC”


AORI, a metade rimática do lendário Inumanos, trabalha na divulgação deANAGA, seu mais recente EP. Com sons totalmente diferentes das experimentações que fez ao lado do DJ Babz, o MC apresenta maturidade para lidar com assuntos que vão do humor ao papo família, passando pelo conceito de resistência no hip hop. O BF trocou uma ideia forte com Aori, o artista fala do início de sua carreira, suas incursões no mundo do experimentalismo e a importância de ter personalidade e estilo no rap. O MC também aborda temas como racismo e apropriação cultural.
Bocada Forte: Como iniciou seu envolvimento com as batalhas de MC?
Aori:  Participei da batalha do evento Duloco em 1998. Napoli, Kamau, Marechal, Black Alien, Max B.O, Akin, Rhossi e JL estávamos todos no palco trocando rimas, foi a partir daí que meu trabalho começou a ser falado em São Paulo.
Depois, no Rio de Janeiro , logo após o fim da Zoeira [evento de hip hop], num sabádo, Eu, Marechal, e Akira fundamos a Batalha do Real. O filme do Eminem [8 Mile] ajudou muito a espalhar a ideia.
Bocada Forte: Apesar de uma outra corrente ter começado uma certa mudança no hip hop, em 2000, o rap ainda tinha forte pegada periférica e estética gangsta. Os artistas de mais destaque seguiam esta linha. Ficando no campo das letras, como foram as primeiras ideias do Inumanos?
Aori: As primeiras ideias foram “Polegar opositor”, “Brutal crew” e uma música chamada “Guerra”. Eu e o DJ Babz passávamos os dias pesquisando discos antigos e obscuros e técnicas de gravação caseira. Nós 2 estudávamos desenho pra história em quadrinhos, o que acho que isso influiu muito na concepção do projeto. Misturando essas influências – videogames, quadrinhos, a gente chegou nessa mistura afro-futurista. A gente sempre curtiu o som gangsta, mas também curtíamos outros estilos musicais, outras referências . As letras eram colagens disso tudo, muitas vezes trocando o tema gangsta/periférico por algo centro/nerd, a gente estava na rua, mas nossa pegada era outra.
Bocada Forte: Vamos falar do Volume 10, seu primeiro álbum. Já tinham a ideia de subverter a cena rap quando estavam produzindo este disco? O quanto sua experiência no rock influênciou na elaboração do CD?
Aori: Quando a gente foi gravar nossa primeira música, a “Brutal crew”, dois dias antes de fecharem o CD Zoeira Hip Hop, o Damien nos mostrou um beat com um belo Sample orquestral. O que a gente fez? Pedimos a ele que abaixasse o pitch do som até virar aquele som fantasmagórico que geral conhece . O Babz usou aqueles samples loucos no refrão e, em todas as linhas da rima, eu finalizo em proparoxítonas!
Então a gente veio pra fazer algo diferente mesmo, nossa maior contribuição era fazer o som e ter a postura mais original possível . A gente já tinha tido umas bandas de rock, curtia drum ‘n’ bass, eu era MC da festa febre, o Babz era metaleiro, isso tudo somou pra gente. Nossa experiência no rock nos ensinou que era mais prático ser um MC e um DJ (risos).
Bocada Forte: O Aumenta o Volume, de 2009, é mais uma coleção de sons que estavam guardados ou o planejamento foi outro? Conte um pouco sobre a produção desse disco.
Aori: A gente lançou essa mixtape como teaser de um próximo disco, com algumas ideias novas, mas essa mix não teve o retorno que esperávamos. Não sei se foi o timing, mas a gente esperava mais desse trabalho. Fica o registro das ideias daquela época. Esse disco foi todo produzido no estúdio que o Babz tinha em Santa Teresa. Na real era um PC, uma MPC 3000 e um microfone velho. A música título foi gravada lá . Essa mixtape também foi uma limpada na gaveta do Campo de Concentração [estúdio de gravacão], tinham umas demos bem legais tipo a agora com a Lívia.
Bocada Forte: Nas matérias que abordam Anaga, seu novo trabalho, o seu afastamento das rimas para se dedicar ao marketing é citado. O que realmente você fez? Poderia falar sobre esse trabalho? Ainda teve alguma ligação com o rap?
Aori: Eu estudei propaganda e, depois de 10 anos dedicados ao rap, apareceu uma oportunidade de trabalho numa área que eu também gostava. Aceitei mais esse desafio e, desde então, eu trabalho na Nike do Brasil, fazendo parte da equipe de marketing. O meu trabalho hoje não envolve o rap diretamente, mas minha experiência no mundo do hip hop realmente me ajuda muito.
Eu não consigo ficar com a mente parada, trabalhar com comunicação e ideias é o que eu gosto de fazer . Esse tempo todo eu produzi festas como a LUV, freestyle e edições da Liga dos MCs. Mantive o MC Lapa, um blog com várias novidades que eu atualizava quase que diariamente. Apesar de não estar gravando, eu estava ligado no que estava rolando .
Bocada Forte: Foi nesse período em outros setores da cultura que começou a criar o que seria o disco Anaga, ou deu uma parada nos outros projetos para construir este trabalho?Aori: O Anaga surgiu dessa vontade de continuar contribuindo com o mundo do hip hop, de mais uma vez humildemente trazer novas experiências e vivências para a galera. Hoje em dia, eu sei que organizando, dividindo direito o nosso tempo podemos fazer muito mais. O Anaga foi composto em viagens de avião, pontos de ônibus, anotando ideias no celular, sempre com meus beats nos ouvidos. Eu gravava todo sábado à tarde, no estúdio, na maior calma.
Bocada Forte: Mais uma vez você seguiu na contramão. Se no início dos 2000 você veio com uma abordagem diferente e com referências futuristas, agora você apresenta um trabalho que não segue a tendência bass que domina o mercado. Como foi o lance da produção dos disco?
Aori: De cara eu tentei não trazer o clima futurista pra esse projeto, afinal tudo começou como um projeto solo, então tinha que ser algo diferente do Inumanos. O processo criativo começa com um pack de beats do Martins, que tinha levadas esqueléticas. Nessa sessão, eu gravei uma do Luiz Café chamada “Não paro”. Ao falar de família e resistência, essas duas músicas deram o tom do disco. O lance desse álbum  foi misturar um pouco da vibe esperta do Inumanos com a fase “brutal reflexivo” de musicas solo, como “Musa” e “Calma”, também botando o humor na frente, como em “Anaga” e “Clima”. Nesse disco, a gente não mirou a pista, a ideia era fazer “headphone music”. Acho que por isso o bass ficou de fora, mas nada impede de,  num próximo projeto,  a gente mexer nisso. Quando a gente analisa os valores do disco, um “funkão” tipo “Disciplina” faz muito mais sentido.
Bocada Forte: Numa cena que tem muito rimador ligeiro em beat bom, mas com letras fracas, acredita que aliar forma e conteúdo é algo para poucos?
Aori: Acho que tem muito rimador genérico, falando o que agrada, sem trazer nada de novo. Poucos rappers tem um estilo definido com ideias próprias. Estilo é uma coisa muito importante no rap, e sua marca registrada. Não adianta você ter rimas fortes e não ter um estilo marcante. E isso vem muito da vontade do MC de se entregar na história que ele está contando. Se ele mesmo não acredita, não vai  conseguir passar sua mensagem pra ninguém .
Bocada Forte: Você afirma que o EP Anaga celebra a amizade, entre outras coisas. Você acredita que está faltando isso na vida das pessoas?
Aori: Acho que está todo mundo conectado demais, sem tempo pra nada. Muitos amigos que eu mandei o link do som nem escutaram, tipo todo mundo correndo demais .
Qual foi a última vez que você sentou pra escutar um disco? O jeito que o Anaga foi feito, como as músicas se complementam e até a duração curta do EP foram criadas para tentar facilitar isso.
Bocada Forte: Por falar em vida das pessoas. Acha que o rap poderia ser mais ativo nas questões que abalam a vida dos pretos e dos periféricos? Não falo de abordagem nas letras, falo de postura, tomada de posição, atitude.
Aori: Acho que a galera escolheu os rappers como nossos representantes e acho que falta força para o rap na vida prática das pessoas. Poucos MCs se posicionam quanto a questões importantes, e talvez por isso o hip hop não tenha tanta influência na sociedade. Mas acho que está vindo uma galera bem politizada por aí, que vai saber equilibrar o lado festa e o lado guerrilha do rap. Os dois se equilibram. Quando os dois estão equilibrados você é um rapper perfeito.
Bocada Forte: Ainda insistem que só superaremos o racismo quando pararmos de falar sobre ele. O que acha disso?
Aori: Temos que falar do racismo o tempo todo! Até ele acabar. Me desculpem se é chato, mas a nossa luta continua, e isso reflete na nossa arte.
Bocada Forte: Quando o tema é apropriação cultural, qual sua posição?
Aori: Todos são bem-vindos, desde que respeitando quem veio antes. Até pra você inovar existem fundamentos a serem estudados, por isso, antes de dizer que você está inovando, olha lá atrás. Com certeza, alguém já fez igual.